As independências não são proclamadas, são construídas. Trilhar os caminhos traçados por mulheres, homens, grupos ou movimentos sociais, instituições, em diferentes tempos e espaços, traz ao debate as agências destes atores sociais e seus impactos no processo desta construção que completa duzentos anos em sete de setembro de 2022.

Redimensionar e articular estas agências aos múltiplos lugares sociais de pertencimento dos indivíduos, ou dos grupos, às questões sociais, educacionais, políticas, econômicas ou culturais, contemporâneas a eles, nos permite percorrer a multiplicidade de narrativas e olhares sobre a nossa Independência.

Assim, mulheres, homens, crianças podem ganhar visibilidade, corporeidade, enfim vida e movimento nos vários momentos em que lutaram pela independência como agentes históricos, fazedores/as de liberdades sociais, econômicas, políticas e culturais. Esse é um dos objetivos dessa trilha… vamos andarilhar por ela?

Colabore e participe da composição deste mosaico!