Educação Patrimonial LGBTQI+ no Rio Grande do Sul: reparação da memória através do trabalho com biografias.

Vitória Giovana Duarte

Andrei Marcelo da Rosa

Natália Velho Noronha

 

Esse material didático foi elaborado por discentes da graduação do curso de Licenciatura em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, como parte do Estágio de Docência em História – Educação Patrimonial, no âmbito do CLOSE – Centro de Referência da História LGBTQIA+ do Rio Grande do Sul. O objetivo deste material é, a partir da biografia de sujeitos marginalizados pela História e pelas historiadoras e pelos historiadores, fazer as(os) discentes pensarem uma educação patrimonial que rompa com a idealização tangível do que constitui um Patrimônio. Assim, a presente aula tem seu foco voltado ao patrimônio imaterial, que se preocupa com mais do que apenas conhecer as trajetórias e identidades que foram e continuam sendo silenciadas, mas também em evidenciar e reparar esse silenciamento.

As biografias foram produzidas para a exposição intitulada “Histórias da Gente: vidas LGBTQI+ no RS”, organizada pelo CLOSE e que consiste em lambes colados em locais públicos de Porto Alegre, contendo um QRCODE que redireciona para as biografias. Assim, aula e exposição conversam na busca pela reparação da memória LGBTQI+ no estado, através da exposição, seja em sala de aula ou em outros locais públicos, destas histórias para posterior reflexão


Punho fechado com as cores da bandeira LGBTQI+
Créditos:
Gorbash Varvara/Shutterstock

Acesse o plano de aula (aqui)

Acesse os slides (aqui)

Descrição: #pratodesverem:

Imagem quadrada, colorida. Sobre fundo azul marinho, centralizado, desenho de um punho fechado, colorido em roxo, azul, amarelo, laranja e vermelho. Ao redor, raios emanam do punho, com as mesmas cores presentes nele.

 

Para saber mais

https://linktr.ee/historiasdagente

 

BAPTISTA, Jean; BOITA, Tony. Protagonismo LGBT e museologia social: uma abordagem afirmativa aplicada à identidade de gênero. Cadernos do CEOM, vol. 27, nº 41, 2014.

CAMARGO, Flávio P. Revendo as margens: a (auto)representação de personagens homossexuais em contos de Caio Fernando Abreu. Tese (Doutorado em Literatura) pelo Programa de Pós-Graduação em Literaturas da Universidade de Brasília (UnB). Brasília, 2010.

GIL, Carmem Zeli de Vargas. Investigações em educação patrimonial e ensino de história (2015-2017). Clio, Recife, v. 31, n. 1, p. 107-127, jan./jun. 2020.

MEDEIROS, Tiago V. Depravada e inesquecível : memórias, homossexualidades e prostituição masculina a partir da trajetória de Luísa Felpuda (Porto Alegre, últimas décadas do Século XX). Dissertação (Mestrado em Literatura Brasileira) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, 2020.

OLIVEIRA, Augusta da Silveira de. “Tenho o direito de ser quem eu sou”: o movimento de travestis e transexuais em Porto Alegre (1989-2010). Dissertação (Mestrado em História). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, p. 141. 2018. Car

TOLENTINO, A. Educação Patrimonial Decolonial: perspectivas e entraves nas práticas de patrimonialização Federal. Sillogés, v. 1, n. 1, p. 41-60, jan./jun. 2018.

VELHO, G. Patrimônio, Negociação e Conflito. Mana, v. 12, n. 1, p. 237-248, abr 2006.

VERAS, Elias Ferreira; PEDRO, Joana Maria. Os silêncios de Clio: escrita da história e (in)visibilidade das homossexualidades no Brasil. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 6, n.13, p. 90 ‐ 109, set./dez. 2014.