Nesta trilha, pensaremos as comemorações (com-memor-ações). Aprofundando a memória sobre a efeméride, ou o acontecimento histórico da independência do Brasil: o canônico 7 de setembro de 1822. Esta trilha das comemorações pretende contribuir para possibilitar revisões, ampliar, ou aprofundar nossas compreensões, e experiências sobre aquele acontecimento, e muitos outros no passado e no presente que sinalizam o não acabamento daquela independência. E, nesses processos, nos vários tempos históricos, quantos sujeitos foram invisibilizados, mulheres, negros/as, trabalhadores/as, os LGBTQI+, entre vários outros anônimos que cotidianamente engajam-se naquele processo.

Nesse sentido, se pretende, também, problematizar as memórias sobre esse acontecimento, os patrimônios construídos por diversas instituições e sujeitos, os museus e seus objetos. Nossa proposta será acolher as várias e diversas atividades, fazeres educativos, reflexões, pesquisas que possam contribuir e potencializar diversos fazeres das/os professoras/es da educação básica, desde a sala de aula, e os movimentos sociais com suas escolas nos acampamentos. Desejamos caminhar juntos, potencializando ações com as memórias muitas vezes interditadas, e assim possibilitar suas visibilidades no bicentenário da independência que se avizinha.