Territórios negros em Porto Alegre: construindo possibilidades de percursos

Adriana Conceição Santos Dos Santos,
Fernanda Amorim Golembiewski,
Tanise Baptista de Medeiros,
Luana Veeck Valada,
Rodrigo Nickel,
Gabriel Gonzaga,

Lourenço Teixeira,
Isadora Talita Lunardi Diehl,
Anita Silva de Sousa,
Fátima Rosane da Silva André,
Sarah Calvi Amaral Silva. 

O livro apresenta e propõe reflexões sobre alguns lugares que formam dois projetos patrimoniais da cidade de Porto Alegre (RS): o “Territórios Negros: afro-brasileiros em Porto Alegre”, da Companhia Carris, e o “Museu de Percurso do Negro”: o Tambor, a Igreja das Dores e o Pelourinho, a Praça da Alfândega (antigo Largo da Quitanda), o Mercado Público, o Parque da Redenção, a Ilhota, o Museu Joaquim José Felizardo, o Quilombo do Areal da Baronesa e o Largo Zumbi dos Palmares. Os textos instigam reflexões e a criação de novos conhecimentos sobre história afro-brasileira e podem ser usados tanto ao longo do percurso, quanto como material de apoio pré ou pós visita.

Mapa criado para o livro, ilustrando uma possibilidade de percurso dos territórios negros em Porto Alegre.
Imagem: Elaborado por Thiago Luz, com os autores

 

#paracegover Imagem retangular com o mapa de Porto Alegre em cor areia, mostrando a possibilidade de percurso dos territórios negros representado por desenhos e legenda: com Largo da Força, Igreja das Dores, Largo das quitandeiras, Mercado Público, Largo Zumbi, Redenção, Ilhota, Quilombo do Areal e Museu Joaquim Felizardo, próximo da orla do Guaíba. No mapa à esquerda encontra-se uma bússola e a escala)

 

Acesse o livro aqui

Caderno Territórios negros