Branquitude e Educação para Relações Étnico-raciais

 

Como se construiu a vantagem social dos brancos no Brasil? No sétimo episódio da série “Professores falam sobre independências no Brasil” recebemos Tanara Forte Furtado, coordenadora adjunta do curso UNIAFRO/UFRGS, e Marcus Vinícius de Freitas Rosa, professor no Departamento de História da UFRGS, que tratam da importância dos estudos de branquitude no Brasil, apresentando novas perspectivas sobre as relações raciais e os 200 anos de Independência do Brasil e seus desdobramentos. Nessa potente conversa, analisam o significado de ser branco na primeira metade do século XIX, discutem práticas de educação antirracista e afirmam a necessidade de “acionar a sensibilidade” nos espaços escolares.

Professores falam sobre independências no Brasil – Branquitude e Educação para Relações Étnico-raciais
Créditos: Portal do Bicentenário

#paratodesverem: banner com fundo avermelhado e branco, onde podemos ler o título “Professores falam sobre Independências do Brasil – Professores falam sobre independências no Brasil -Branquitude e Educação para Relações Étnico-raciais ”. Abaixo estão a logo do Portal do Bicentenário, da Anped e a mascote do Portal, uma menina negra, de cabelos escuros e amarrados de cada lado, sorriso gentil e atrás dela fitas coloridas.