Coluna Bicentenário da Independência: vários temas,  múltiplas vozes.

/Luciano Mendes,
Marcelo Silva,
Maria Beatriz Porto

 

2022 será uma efeméride emblemática na história do Brasil. Será o ano do Bicentenário Independência do Brasil, das eleições gerais e da revisão da Lei de Cotas para acesso às instituições públicas de ensino superior. Não bastassem esses assuntos efervescentes, infelizmente, 2022 será também o ano de enfrentamento da pandemia e de suas cruéis consequências para a população mais pobre do país. Tudo isso, junto e misturado, fará de 2022 um momento pungente e desafiador.

Discutir o Bicentenário na sala de aula é imperativo, hoje, a todas as professoras e professores do país. O tema já tomou as ruas e, sem dúvida, será objeto de muitas discussões e disputas nos diversos espaços públicos, inclusive na escola. Para se preparar para essa discussão com seus alunos e alunas, colegas e com a comunidade escolar, é preciso que o docente acesse informações seguras e variadas, pontos de vista dos diversos sujeitos e territórios da Nação sem, no entanto, perder de vista a defesa da causa democrática. 

Não resta dúvida de que, se queremos fazer deste um país democrático, solidário e igualitário, é preciso que disputemos as festas cívicas e lhe emprestemos mais a cara da diversidade da população brasileira e dos projetos de país Brasil que acalentamos. Neste sentido, 2022 pode ser um importante marco na retomada de uma consciência adormecida e de algumas práticas cívicas coletivas e democráticas que, aqui e acolá, insistem em irromper, resistem, persistem, ainda que em gritos isolados e vozes abafadas, por todos os Brasis.

É preciso celebrar a força e a resistência de inúmeros coletivos que, desde o século XIX, vêm lutando para que a independência, melhor dizendo, para que as independências, tenham outros significados que não aqueles que nossas elites coloniais, senhoriais e perversas buscam lhes emprestar.

É com este propósito que o jornal Brasil de Fato e o Portal do Bicentenário da Independência se unem para, nos próximos meses, manter acesa a discussão sobre os sentidos do Bicentenário da Independência no espaço público brasileiro.  Dentre os temas discutidos nos textos já publicados estão os próprios sentidos do Bicentenário,  os  movimentos separatistas anteriores à independência, as relações entre religião e política no Brasil, a importância da ciência para a independência nacional, as leis trabalhistas e as questão das fronteiras nacionais.

 

Coluna  Bicentenário da Independência – Jornal Brasil de Fato. Acesse aqui.  

 

Logo do Portal do Bicentenário 

#Pracegover No  logo do Portal do Bicentenário uma menina negra, em movimento,  correndo com uma bandeira de fitas que representa as várias vozes e cores do Brasil.

 

Para saber mais 

Disputar os sentidos do bicentenário –  Acesse aqui

Bicentenário Religião e Política – Acesse aqui

Revoltas de Pernambuco – Acesse aqui

Independência com ciência ou morte  – Acesse aqui

Terra, Educação e Independência – Acesse aqui

Recortes dos Direitos Trabalhistas no Brasil – Acesse aqui

Bicentenário da Independência – Acesse aqui

Entre povos e fronteiras – Acesse aqui